Páginas

quinta-feira, agosto 10, 2017

Anotações hodiernas



Anotações hodiernas



As semanas, parece-me, estão com apenas cinco dias. Tanto a fazer e tão pouco realizado, a cada dia alguns itens programados são adiados – ou apagados – e a perspectiva continua a mesma, sempre a nos cobrar mais agilidade, racionalidade, objetividade...

Convenhamos, porém, que os percalços são sempre o que nos dão alegrias. Contornar obstáculos, superar dificuldades e sentir que mesmo diante das pedras do caminho alcançamos nossos propósitos. Isso me lembra sempre o ensinamento antigo que compara a vida aos rios, que têm o mar por objetivo; no caminho há retenções, desvios e restauros, mas sequer a grandeza das montanhas inibe os cursos d’água. Em seu caminhar ocorrem a infiltração e a evaporação, mas o afluxo de outros caudais os fortalecem e o destino é sempre alcançado.

Brinco com essa ideia para contar aos leitores das minhas lutas. Talvez não tenham qualquer importância para muitos (ou todos), mas sei que elas são o tempero desta minha curta existência (sim, que sete décadas só parecem muito quando estamos no comecinho da caminhada; o tempo vivido, quando se olha para trás, mostra-se curto e tudo parece ter acontecido ontem).

Chegamos à segunda semana de agosto neste 2017 de tantas surpresas e decepções nacionais, contudo renovamos as esperanças a cada dia e mostramos nossa resistência – eles, os malvados, que se cuidem, já que o tempo é determinante e as mudanças virão – não necessariamente ao modo deles.

Falo de mim e conto que festejarei o dia 8, terça-feira, com a intenção de uma festa de aniversário – os 128 anos (sim: cento e vinte e oito anos) do nascimento da mais ilustre das mulheres nascidas em Caldas Novas e, sem dúvida alguma, em Goiás – a poetisa Leodegária de Jesus. Essa festa envolve minhas queridas amigas Gabriela Azeredo Santos e Stella Fleury, respectivamente secretária da Cultura (de Caldas Novas) e presidente da Academia de Letras e Artes de Caldas Novas, bem como os membros efetivos da nossa ALACAN.

Claro, claro... darei notícias dessa festa.

Outro evento de boa monta será em Goiânia, dia 11 (sexta-feira), na Pizzaria Casablanca (Rua 3, em frente à Vila Cora Coralina, entre a avenida Tocantins e a Rua 31). Será o nosso segundo Sarau, com vários poetas já inscritos, sob a coordenação da poetisa Zanilda Freitas, auxiliada por mim e pelas Versejantes, as poetas Ana Cárita, Sônia Elizabeth, Rosy Cardoso e Sônia Prado.

A partir das 19 horas, estaremos lá para a cantoria e as declamações, com Itamar Correia, Maria Amélia Trindade, Lady Foppa, Sinésio Dioliveira, Carlos Edu (será que virá?), Antônio da Costa Neto e outros mais!

De resto, registro meu abraço de carinho ao secretário da Cultura de Goiânia, o poeta e acadêmico Kleber Adorno – um acerto do prefeito Iris Rezende na montagem de seu secretariado. Intelectuais e artistas goianienses (de nascimento ou de escolha) festejam a volta do Goiânia Canto de Ouro, do Festicine, do Chorinho às sextas-feiras no Grande Hotel e, em breve, a coleção Goiânia em Prosa e Verso.

Como se diz, “é vida que segue”!


*****



Luiz de Aquino é jornalista e escritor, membro da Academia Goiana de Letras.


Nenhum comentário: